sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Ó Gente do meu País

Agora é que eu percebi esta tristeza que trago dos políicos a recebi.
Sim, sobretudo dos políticos que fazem estas "engenhosas" leis que apenas servem para benefciar,
aos amigos dos grandes escritórios de advogados, dos BPN, das Faces Ocultas, dos sobreiros e submainos, dos Torres, Valentim, Isaltinos e outros que tantos se torna impossível nomear.
Gente que continua na maior... Sim. Toda esta gente e milhares de outros corruptos são filhos da A.R., porque dela promanam as leis que os servem e de que eles se servem, de braço dado com uma justiça incapaz e ineficaz, que diz nada mais poder fazer, ou eles não querem fazer mais...  
Quantos processos de gente graúda chegam ao fim? Uma njustiça e uma vergonha!
Ó gente do meu país, que somos vilmente humilhados e escavizados por estes políticos com rosto mas sem consciência.
É tepo de acordar e reagir porque o nosso fado não é este, mas antes o da dignidade e do direito gente honesta e respeitada...
Basta do "fado do bandido"!
Respeitem e dignifiquem este povo que, finalmente, começa a perceber que está a ser, ignobilmente, enganado...


4 comentários:

TINTINAINE disse...

Lá chegará o dia em que o povo se encha de os aturar e acaba-lhe com a raça!

Anónimo disse...

Na verdade temos que acabar com as LOJAS MASÓNICAS desta seita.
Valdemar Alves

edumanes disse...

Eu, direi antes,
Ó! governantes do meu país
Que nada sentes
Qual foi o mal que eu fiz?

Ninguém te fez mal,
Tu é que o estás praticando
Parece que andas brincando ao Carnaval
Os mais pobres continuas chateando!

Desejo um bom dia para ti, amigo Valdemar Marinheiro.
Um abraço
Eduardo.

Observador disse...

Amigo Valdemar
Faz hoje um mês que não dás noticias, aparece para nos dizeres como vais de saúde, espero que melhor.
Um braço
Virgilio