terça-feira, 22 de novembro de 2011

Péssimos exemplos de uma crise destrutiva

Abre feridas no coração, passar frente a empresas onde recentemente Patrões e Trabalhadores, aparentavam ser uma familia, onde os interesses de uns estariam ligados aos dos outros.
Mudam-se os Ventos! Mudam-se os Tempos
Ver-se os trabalhadores à chuva e ao vento  o minímo exigível seria que  entidade patronal, mantivesse um diálogo com esses mesmos trabalhadores, já que para muitos deles, essas  mesmas fábricas foram muitos casos a. sua primeira casa, estando sempre disponíveis para servir a entidade patronal em tudo aquilo que mesma lhe socitava, horas extras.
Pura aparência ilusória.
 O Dinheiro fala mais alto.
 Para muitos deles o sentimento é coisa que apenas existe seegundo as leis das conveniências,

3 comentários:

TINTINAINE disse...

Olá filho da escola! Como vão esses ossos? Têm resistido à quimioterapia?
Espero sinceramente que sim e que qualquer dia nos dês a alegria de aparecer para te darmos um abraço.

edumanes disse...

Boa noite amigo Valdemar Marinheiro, espero que estejas a reagir bem a esse teu tratamento de quimioterapia.
Para que possas voltar às tuas lides diárias no teu blog.
Quanto à crise, os ricos a causam
Os pobres sofrem seus efeitos
Às descaradas eles roubam
Querem, mais nunca estão satisfeitos!
Penso que assim, não podemos continuar
Um fim tudo tem que ter
Com eles, todos, de vez acabar
Antes que o pior possa acontecer
Numa revolução ninguém quer arriscar
Preferem, antes mais, empobrecer!

Desejo uma boa noite para ti, meu amigo.
Um a braço
Eduardo.

Fuzo Observador disse...

Amigo Valdemar, espero que continues a recuperar bem, e que brevemente estejas em grande forma, para os teus afazeres.
Isto está a ficar muito negro, nem se vê a luz ao fundo do tunel, que era uma maneira de nos trazer algum ânimo, vamos ver onde isto vai parar, mas não se espera nada de bom.
Um abraço
Virgilio