quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Como português, medo de acordar cansado


Contos boémios na Lisboa antiga
no
riodouroniassa.blogspot.com
Os portugueses que nada fazem, nunca têm medo de nada, apenas e só que o céu lhes caia em cima.
Eu tenho uma enorme honra de pertencer ao povo a que pertenço.
Honro-me de ser português e vejo muitas virtudes no meu povo.
Somos bondosos, optimistas no nosso pessimismo desde a nascença, somos um dos povos mais trabalhadores e respeitados quando emigramos . Confesso que me começo a sentir cansado de tantas desculpas esfarrapadas e pela falta de lucidez de uns tantos. Nesta fase encontro-me cansado de fazer parte de um rebanho, que encontra no guia maior todas as desculpas para o que corre mal.
Começo a sentir fadiga de me verem e pensarem que também eu vivo sem pensar no amanhã. Começo a não perceber como tanta gente corre a comprar artigos de luxo, para poupar uns tostos nos impostos, numa altura em que vivemos  difícilima e se me apresenta se assim continuar um futuro de tantas incertezas.
Começo  a ficar cansado deste grupo que só quer comprar na esperança de que alguém pague por eles.
O céu está perto de caír-nos em cima. Ou levantamos a cabeça e o empurramos para o seu devido lugar ou o medo em cada dia vai continuar a tomar ainda mais conta de nós e impedir-nos de lutar por uma vivida onde nela possamos viver com diginidade.

3 comentários:

Fuzo de agua doce disse...

O mundo sem optimistas era uma desgraça, são precisos Homens como tu, para que o tal Céu não nos caia em cima, mas não é optimista quem quer meu Amigo, se assim fosse, não tínhamos suicidas com vidas e saúde aparentemente estáveis, e saudáveis, o Mundo é feito desta mescla de Gente, e assim continuará, como diz o outro, :os feitios não se fazem, nascem assim.
Um abraço
Virgílio

António Querido disse...

Então, haja alegria! O céu não nos cai em cima, nós é que vamos uns atràs dos outros lá acima têr com ele, e não precisamos de asas, nem escada, vamos marchando com passo certo, no dia a dia!

edumanes disse...

Alto aí amigo Valdemar, dizes e muito bem, somos um povo trabalhador, incluido nesse povo estão os Alentejanos, sem dúvida são, ainda, os mais
"trabalhadores?" Se mais não trabalham é devido ao calor que, no verão, se faz sentir no Alentejo.
Conheces algum alentejano que não goste de passar uma tarde de intenso calor à sombra de uma azinheira. Deitado e a pensar ó trabalho vai-te embora para muito longe. O trabalho nunca acaba, portanto, é por causa disso que os alentejanos não têm pressa!
Deixando a brincadeira passando à situação real do que, infelizmente, se vai passando no nosso país. É de facto caso para pensar o que irá ser do futuro, se assim continuar?
Um abraço
Eduardo.