quarta-feira, 15 de junho de 2011

Divergências Fíngidas, para aumentarem os lucros

Importante é já começar a discutir qual vai ser o Governo daqui a quatro anos, enquanto isso o novo factor de pressão da dívida soberana que afecta países periféricos é irrelevante.
Então que interesse poderá ter isso de aumentos, o importante mesmo é continuar a festejar  quem ganhou, saber ou tentar acertar quem será o próximo ministro das Finanças e da Defesa etc. etc.
Não custa mesmo nada numa situação destas o Banco Central Europeu (BCE) e alguns Estados - membros da União Europeia (UE ) fingirem divergirem em relação ao envolvimento dos credores privados no novo pacote de ajuda à Grécia.
" Estas aparentes divergências" serviram que nem uma luva para que os juros da Grécia, Portugal, Irlanda e também a Espanha, a renovarem máximos históricos.
No caso das obrigações do tesouro ( OT ) portuguesas a matucidade a cinco anos quebrou a barreira dos 12 por cento, atingido 12,140 dos 12 por cento o valor mais alto de sempre.
Tal como os juros a dez anos que também sofreram uma forte escalada, ao atingirem os 10,710 por cento contra  os 10,433 anteriores.
Não há pior cegueira que aquela em que o cego teima em não quer ver.

4 comentários:

Piko disse...

O que se depreende de tudo isto é que o capitalismo tenta furar por todos os meios e amordaçar os mais fracos da cadeia, que são os desempregados, os que ainda têm trabalho e aqueles que ainda "não se foram" e sobrevivem com pensões mínimas e de miséria... Quanto à divisão dos "tachos" nem é de bom tom perder tempo de antena!...
Um abraço RÁFA!

Fuzo de agua doce disse...

Como as ordens vêm de fora, por cá o que os Governates têm é que cumprir, sob pena da «torneira» fechar, e aqui a coisa começa a ficar negra também para eles, entretanto o Povo, muito dele ainda não se apercebeu que tem o cutelo apontado ao pescoço, e quando se der conta disso será tarde para reagir.
Um abraço
Virgilio

António Querido disse...

Nós ficamos a ser ameaçados com o cutelo, enquanto os responsáveis estão a milhas, gozando o rendimento dos roubos que nos fizeram, e nós impotentes sem nada poder-mos fazer, essa é que é essa!

edumanes disse...

São gatunas autorizados,
Cujos roubos não se provam
Já nem andam disfarçados
Dizes eles nada roubam.

Milhões não se roubam,
Milhões são desviados
Se for cêntimos se comprovam
Vão para a prisão os desgraçados.

Por terem fome uma sandes tiram,
De imediato a polícia chamam
Quem tira milhões não castigam
Neste país só os pobres condenam?

Uma boa noite para todos
Um abraço
Eduardo.