domingo, 19 de junho de 2011

Manias de Remédios Caseiros...

Mania dos remédios caseiros
Um médico, depois de ver a história clínica do paciente, pergunta:
- Fuma?  - Pouco.  - Faz bem. Quanto menos melhor.

- Bebe?  - Pouco.  - Ainda bem.

- Pratica desporto?
- Não posso. Tenho lesões antigas.  - Pois, é pena.

- E sexo, pratica com frequência?  - Muito pouco.
- Isso é que não pode ser. Se não pratica desporto, deve compensar fazendo muito sexo. Vá para casa e pense bem nisso...
Ele foi para casa, contou à mulher o que o médico lhe tinha dito e, de seguida foi tomar um banho. A mulher, esperançosa, enfeita-se, perfuma-se, põe o seu melhor baby-doll e fica à espera dele, numa pose toda provocante.
Ele sai do chuveiro, perfuma-se cuidadosamente, começa a vestir-se, e a mulher, surpreendida, pergunta:
- Aonde é que vais?  - Não ouviste o que o médico me disse?  - Sim, por isso mesmo estou aqui, já prontinha para... tu sabes!
Então ele responde:  - Ah, Francisca, Francisca, lá estás tu outra vez com a mania dos remédios caseiros...

5 comentários:

Valdemar disse...

Sem dúvida... Esta é a melhor do mês!
Valdemar Alves

Agostinho Teixeira Verde disse...

Quando a doença é crónica
Não há remédios para ela;
De nada vale a água tónica
Nem as picadas da sovela...

edumanes disse...

O Verde já respondeu,
Agora é a minha vez
Se contigo já aconteceu
Comigo há mais de um mês.

Eles me caparam,
Mal nenhum eu fiz
A próstata me tiram
No sexo não sou feliz.

Vou desporto praticando,
Mas a coisa não é a mesma
Para esquecer vou andando
Sem sexo a vida é uma tristeza.

Mas a vida continua,
O perdido já não volta
Não adiente procurar mulher nua
Porque a coisa está torta.

Tenham todos boa semana de sexo.
Aproveitem e sejam bons consumidores.
Não deixem para amanhã o que podem consumir hoje.
Abraços
Eduardo.

TINTINAINE disse...

Não há dúvida que o Valdemar percebe das artes da pesca.
Com isca ou com engodo ele lá vai trazendo os peixinhos todos para a sua rede!

Anónimo disse...

Já dizia lá o Velho Heródes
Prisioneiro revelou Segredo
Agora que já não podes
Resta ainda lingua e o dedo.
Nota as coisas devem ser usadas nos locais devidos.

Esta lembra o Verlho Marinheiro depois de ter tidos uma em cada porto, ficou sem tesão para canear e tentou que a cana indireita-se e começou a recordar as antigas namoras, mas naquele preciso momento soltaram-se quatro peidos. Ele muito irritado deitou a mão ao rabiosque e diss: Cala-te meu paneleiro barato que tu és o principql culpado.
Osb. Desculpem a brincadeira.
Um abraço um resto de bom Domingo e dias seguintes. Valdemar Marinheiro