terça-feira, 14 de junho de 2011

Mudam-se os Tempos:..

Não deixa de ser interessante a notícia na TSF "online  com o titulo "Assédio sexual deve ser criminalizado, defende a UMAR". Ora que se saiba o assédio sexual é crime na nossa lei penal. Quem está habituado a conhecer e re4speitar o trabalho sério desdernvolvido pela UMAR (Uniõa de Mulheres Alternativa e Resposta). Estando o assédio sexual criminanilzado, não parecia fazer sentido a UMAR rerclamar a sua criminalização.
Puro engano ao que parece  o que a UMAR reclama é pelos vistos, a criminalização de "piropos e assobios". Para isso, exibe um estudo de 800 pessoas ouvidas que dizem conhecer casos de tal tipo de "assédio". Supreendente é quer seja só a maioria, já que parece improvável haver alguém que nunca tenha ouvido, já não digo assobios, mas ao menos coisas do género (julgo que classificáveis na perplexa categoria de "piropo". Estás muito bonita (ou bonito), "Esse vestidfo ou essas calças, ficam-te a matar, ficam-te bem ou por aí alérm.
Assim a UMAR coincide inesperadamente com aquele juiz do Supremo que, há uns anos, deu como atenuante de um violador o facto de uma turista violada usar minissaia, pois deveria saber que se encontrava na "coutado do macho latino". Com efeito, se um piropo (e um convite para jantar ou para ir ao cinema) é assédio sexual, muito mais é - dirá a UMLAR, União de Machos Latinos Alternativa e Resposta - uma minissaia.
Potr estas e outras se calhar cada vez há mais.

4 comentários:

edumanes disse...

Dirigir uma graçinha, dizendo à garota que está muito linda. Que tem uns olhos lindos. Penso que deve ser recebida como elogio, e não como ofensa.
Tudo depende do modo, e das intenções, e por quem são pronunciadas.
Também tem muito a ver com o comportamento psicológico do momento. Umas vezes são aceites outras vezes não o são.
Quem é que não gosta de receber um elogio!!!...

Fuzo de agua doce disse...

Isso cheira-me a algum grupo de mal casadas, que não podem ver Homens á frente, ou então não querem nada com eles, o que não me admira, pelo caminho que isto leva, em que elas andam com elas e eles com eles.
Um abraço
Virgilio

António Querido disse...

Bem fizeram os meus amigos Franceses, que votaram não, recentemente a esta bagunça, é uma pouca vergonha, esta liberdade destravada!

edumanes disse...

Não se apoquentem. Cada um ou cada uma leva onde tiver mais prazer.
Quanto mais gozo melhor.