terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Capões (ou Galões) de Freamunde






                                                                                   OS PINTOS E O Ti Zé Maria MOLEIRO
                                                                                                     no blogue
                                                                                   marinheirododouro.blogspot.com

Conhecer a Terra pela Banda Musical
       Capões ou (Galos Capados!!!)
Conheço e admiro Freamunde desde muito novo, pela sua Banda Músical, que com a Revelhe de Fafe, Pejão, Palmela etc. eram e foram durante muitos anos as Bandas mais afamadas do país, e onde por diversas vezes as ouvi em diferentes Romarias.
     Tive vários Conhecidos de Freamunde e dois deles grandes amigos que prestaram Serviço na Marinha tal como eu.
      Diversas vezes falamos dos Capões, mas nunca tinha trincado nada. Não porque não fosse grande a curiosidade pela especialidade, mas porque não se tinha proporcionado.
Da Conversa veio o Capão    
    No Domingo e numa conversa casual, uma amiga disse-me que os Pais "já ambos falecidos", faziam anos de casados, e que neste dia era costume normalmente irem à Freamunde e trazer dois ou três Galórios e que este ano (ontem lá iria).
     Nem a talho de foice! Contei-lhe a história e o meu desejo, prontificou-se a trazer-me um.
     Foi dito e feito; ontem lá o tinha e eu lá lhe retribuí 40 Euros.
     Dizem que a especialidade está na arte da capadeira, a cor da pele e a alimentação a couves e milho e que em regra necessitam quase de um ano para se criarem.
ATACADO  PELA DOÊNÇA DA FACA, QUE LHE CAUSOU A MORTE   
  Ontem lá o tratamos com a Doênça da Faca e à noite lá fizemos o primeiro Banquete.
   Não era bom era uma delícia, como costuma dizer-se:
    - De comer e chorar por mais. Só não ataquei mais um pouco, porque não fosse o Diabo tecê-las e tornar difícil a digestão.
  Hoje ao meio dia, e, no seguimento do ontem, dois bocados cozidos na sopa, e cá o rapaz ficou com a pança cheia que nem um Lorde, e também na obrigação de fazer uma caminhada até à Capela do Senhor da Pedra, já que a aragem do Mar, e as duas horas de percurso ajudariam ao digestivo.
   Faço um apelo a todos aqueles que tem a sorte de terem de cumprir com aquelas  dietas, resistam a esta tentação, para que os preços possam baixar.
   ADOREI O MANJAR. VIVAM OS CAPÕES DE FREAMUNDE.

1 comentário:

edumanes disse...

De Freamunde os capões,
Do Alentejo os boleteiros,
Não comas só carne junta feijões,
Cuidado olha chouriços nos fumeiros.

O que é bom não faz mal,
Comer e beber com moderação.
Aproxima-se o dia de Natal,
Junto das familias ao serão.

Bacalhau ou carne se vai comer?
Para todos desejo bao disposição,
Também não iremos esquecer,
Os que vivem esse dia na solidão.