segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

A Dignidades não escolhe profissões



Mui generoso Pai Natal
        no blogue.
marinheirododouro,blogspot.com
Fruto de uma relacção nas noites do Porto.
Hoje quando estava teclando, não fiquei indiferente a um caso que a TVI apresentou.
A TVI no programa do Goucha não são poucas as vezes que nos trazem exemplos dignos de registo e de compromisso louváveis no acompanhamento de muitos dos casos que apresentam.
Um Pai procurava um Filho fruto de uma relacção na Prostituição.
     Um Pai que se encontrava paraplégico nunca desistiu de procurar um filho que sabia existir de uma relacção que tinha mantido com uma prostituta.
 Era normal nos tempos que vivi ou frequentei  aquele meio, conhecer casos de os tais ditos`Otários levar umas Garinas e tirára-las daquela vida,e mete-las por conta.
   Alguns casos resultaram em sucesso, em que elas jamais voltaram à prostituição, infelizmente na maioria dos casos elas voltavam ao local do crime.
     Pois enquanto novas e com um palmo de cara, o qual lhes proporcionava ganhar bastante graveto criava--lhes a ilusão e que contradizia com a de viver  de um ordenado.
  Conheci mulheres na prostituição de sentimentos nobres, mas que pelas mais variadas razões ali vieram parar, mas sempre que lhes era possivel servir a um balcão ou outro emprego qualquer suspendiam a prostituição e se acaso o ordenado não chegasse se obrigavam a prostituirem-se e só para poderem cumprir com as enormes despesas,  quarto, comida, roupas e filho/os.
  Vivi com uma dessas mulheres, sei quanto gostava dela e só fortes razões impeditivas levaram a que não tivesse vívido com ela fora e longe desse meio.
   Essa grande mulher  "que segundo ela" deixou a protituição vai para onze anos, vive com um companheiro do qual tem mais três filhos, quando o filho perguntou e lhe disse se tivesse que gostava de conhecer o Pai, que o Avô materno lhe tinha dito que ele tinha morrido. Não só teve a grande coragem de lhe dizer que o Pai estava em cadeira de rodas, como ainda tudo faria para o reencontrar.
     O desfecho final deu-se hoje e ela não só teve a coragem de vir dar a cara e assumir o seu passado, como ainda sem qualquer problema dizer onde vivia e que as noites do Porto faziam parte do passado, mas que não o escondia.
 A TVI juntou os Avós paternos, uma Tia paterna e o própria Pai em cadeirasd de roda e que pela primeira vez,tiveram o privilégio de todos se encontrarem quando nunca se tinham encontrado desde há dezassete anos.
   Adoro e felicito quem tem a coragem de dar a cara e assumir o seu passado .
    Não tem porque se envergonhar dele, mas sim que esse mesmo passado venha a servir para ajudar outra gente.
    Do fundo do meu coração desejo a todos eles que tenham uma vida plena de felicidade, porque bem merecem ser felizes.

3 comentários:

Valdemar disse...

Aqui só apanho a RTPi... a qual só me tráz programas pimbas e de mau gosto. Uma palhaçada!
Valdemar Alves

Fuzo de agua doce disse...

Quando estive preso no Alfeite, um dia o Carcereiro entregou-me tabaco, (que não recordo se maços ou algum pacote), quando lhe perguntei quem o tinha entregue não me soube responder, mais tarde, numa das «visitas» que fiz ao Arroz Doce, fiquei a saber que tinha sido uma Mulheres frequentadoras da casa que mandou o tabaco, o mais curioso, é que nunca tive nada com ela, até pela idade avançada que ela já tinha, mas com quem eu conversava bastante.
Esta conversa é só para se ver que algumas dessas Mulheres foram empurradas para essa vida, mas não perderam os sentimentos.
Um abraço
Virgílio

eduardo maria nunes disse...

A prostituição proveniente da pobreza, não será fácil de combater, visto, que no mundo, a pobreza vai progredindo. Quanto aos filhos terem vergonha de sua mãe, por esta ser ou ter sido prostituta, penso que a mãe é sempre mãe, e que nunca deve ser abandonado pelos seus filhos. Se ela o fez foi a pensar neles?
Não creio que mulher alguma ande na prostituição por prazer próprio, mas sim por necessidade. Na maioria dos casos. Muitas das vezes são maltratadas e roubadas por chulos que vivem às suas expensas.
Todos devem seguir o exemplo desse Senhor Pai, para que os filhos provenientes de uma relação,
com uma mãe prostituta saibam quem é o seu pai verdadeiro, o qual também, os filhos não devem desprezar. No meu entender os filhos não devem ter vergonha do seu pai ou de sua mãe, assim como os pais também não devem ter vergonha de seus filhos!