quinta-feira, 3 de março de 2011

Angola ;- Nem a Cerveja é o que era...


Juventude Rasca mas violenta...
riodouroniassa.blogspot.com
Angola já vale 16,4 por cento das vendas da Uncer.
Esta nem ao Diabo lembraria!!!
A Unicer atingiu o patamar dos 500 milhões de euros de vendas líquidos em 2010, mais três por cento do que no ano anterior.
O crescimento do grupo de bebidas foi impulsionado pelas exportações, com destaque para o mercado angolano, que permitiu encaixar cerca de 82 milhões  (16,4 por cento do total das vendas do grupo, e 18 por cento acima do valor de 2009.
Os principais produtos exportados para Angola são Super Bock e a Cristal, tendo a empresa o projecto de fabricar cerveja neste país.
Quem noutros tempos por lá passou e depois de ter conhecido a qualidade das duas cervejas produzidas em Angola certamente não deixará de se interrogar como será possivel e as razões de estas importações angolanas??? Em defesa de que interesses?....

3 comentários:

Valdemar disse...

Eu preferia uma LAURENTINA fresquinha na Rua do Crime... Mas qual o marujo que não se lembrará de ter bebido uma Cucazinha no B.O. ou na Marginal de Luanda?!... E sinceramente de melhor qualidade que essa tal Super... SUPER QUÊ?!
Valdemar Alves

edumanes disse...

Ai que saudades eu tenho de, poder, saborear uma cerveja Cuca, ou Nocal, sentado à mesa de uma esplanada junto da Marginal circundante à inesquecível baia daquela maravilhosa cidade de Luanda, que jamais irei esquecer.
Em Luanda tudo era maravilhoso, quem passou por Luanda, certamente, também visitou o B.O, Bairro que muitos consideraram, como sendo um Bairro violento, onde se praticavam alguns crimes?
Das muitas vezes que o visitei, de noite ou de dia nada, contra. tenho a dizer.
Pelo contrário, aconteceu comigo uma noite ter perdido daquele bairro a minha carteira contendo os documentoe pessoais e algum dinheiro, com devem calcular não seria muito.
Tendo sido encontrada por uma senhora "prostituta", que a foi entragar na 2ª.Esquadra da P.S.P, daquele bairro, com tudo o que continha.
Afinal não era assim tão mau como alguns diziam.
Já tenho contado este, verdadeiro, acontecimento vezes sem fim, porque é digno de referência.
Um abraço desde o Rio Tejo, pasando pelo Rio Douro, Baía de Luanda, ao Lago Niassa.
Bom fim de semana
Eduardo.

Fuzo de agua doce disse...

Ó Amigo Valdemar, o dinheiro que os Angolanos gastam nas «nossas» cervejas vem cá parar todo, e com juros, a Filha do Eduardo dos Santos trá-lo todo para cá, pois já tem quase meio Portugal na mão.
Um abraço
Virgilio