sexta-feira, 11 de março de 2011

"Geração à Rasca"

Hoje vão sair à rua manifestações da " Geração à Rasca".
Uma designação que deriva de um titulo do jornal " Público" publicado há mais de uma decada "Geração Rasca ". Essa geração terá agora  35 a 40 anos e está hoje no poder.
No poder que dirige escolas, empresas, autarquias, tribunais e está significativamente representada na Assembleia da República e no Governo.
O titulo então publicado foi mais uma provocação para discutir problemas sérios da juventude do que uma tentativa de ofensa.
E na verdade, pese os ofendidos beatos (falsos devotos) do costume, valeu uma discussão séria sobre os destinos da escola e do país.
Agora chega-nos a " Geração à Rasca " que se manifesta pedindo a demissão de toda a classe política".
A verdade é que o país está em apuros. A tal ponto que ninguém sabe como vai ser a nosssa vida na próxima semana, ou mesmo já no próximo dia.
São os novos e os velhos atingidos por estes terriveis desgovernos para penalizar os pobres, os desempregados, e os mais idosos.
É um país inteiro à rasca que não sabe se vai para a bancarrota, se aguenta o vendaval de juros, ou pelo menos se sobrevirá!
As manifestações só farão sentido se for para banir toda a classe política e que não permitam que alguns oportunísticamente se juntem , procurando lavar as mãos como pilatos.
Quando sabemos que todos eles da esquerda à direita são cúmplices, como tal: todos uns mais outros menos têm as mão sujas.

3 comentários:

TINTINAINE disse...

Com as notícias de ontem à noite, sobre um novo pacote de medidas anti-crise, têm os manifestantes de hoje mais um motivo para barafustar com o José (Pinóquio) Sócrates e o Teixeira (Beiçolas) dos Santos.
Espero que seja percursor de uma outra manifestação mais séria e definitiva que mude o rumo das coisas neste país.

Valdemar disse...

Mais arrasca estão os nossos ex:combatentes e reformados como acabei agora de ver nas noticias da RTPi... A manifestação deveria ser feita por todos os portugueses que estão "à rasca" e não só por uma juventude cheia de força que não consegue arranjar cunhas. Há muitas retretes para limpar no Alaska... EMIGREM!
Valdemar Alves

Fuzo de agua doce disse...

Se a manifestação tivesse um cunho apartidário, ou melhor se os Partidos não metessem a colherada quem sabe até eu, alérgico a ajuntamentos não daria lá um salto? mas logo que vi que alguns, quase todos os Partidos se faziam representar, adeus até ao meu regresso.
Um abraço
Virgílio