quarta-feira, 9 de março de 2011

Nova Tragédia no Douro (Hoje 9 de Março de 2011


Mais desenvolvimento da tragédia 
blogue: riodouroniassa.blogspot.com

Um barco de  nome Olivei carregado de areia pertencente à Firma José Oliveira com Areeiro na Varzea do Douro, adornou ficando o casco à superficie.
Uma vida humana salva, não tem preço.
Valeu o alerta de algumas pessoas do Lugar de Cancelos que prontamente alertaram para os Bombeiros e Donos dos Areeiros.
Prontamente ocorrorem ao local  no Barco Valboeiro "O Marinheiro" pertença de Valdemar Marinheiro o Zeca Padeiro e o Manuel Barulho que conseguiram encontrar e socorrer um dos naufragos que tinha nadado até à margem e se agarrou a uma rocha, sendo que dali não conseguia saír por já não ter forças para subir o o mato denso não o permitir. Apesar de algumas queixas num dos joelhos e umas marcas de tinta na cara, apresentava-se livre de perigo, foi transportado no barco Valboeiro e depois entregue ao Patrão do Navio.
Deu-se mais tarde a chegada de um Bote dos Bombeiros de Melres e por indicações dos dois homens se dirigiram à outra margem onde estariam mais dois seobreviventes.
A guarnição era composta por quatro homens, tendo um sido visto a afundar-se e é dado como desaparecido.
Passados 10 anos da anterior tragédia da Ponte de Entre-os-Rios masi um dia triste para as gentes ribeirinhas e familias.

3 comentários:

Fuzo de agua doce disse...

Ap perda de bens é de lamentar, mas as vidas essas não têm preço, ainda bem que conseguiram salvar alguns,lamenta-se o desaparecimento dum outro, que provavelmente estará morto.
Um abraço
Virgílio

António Querido disse...

Mais um acidente, com perda de uma vida é sempre de lamentar, eles acontecem em qualquer lugar, em qualquer rio e a qualquer hora, quando menos se espera, foi bom o teu barco estar pronto para atuar nesse momento de desespero!
Um Abraço
Páscoa

edumanes disse...

Para nós, gente do povo, salvar uma vida não tem preço. Já para quem não pertence ao povo, é mais vida menos vida. Os governantes, deste país, salvo excepções, estão-se nas tintas. Quanto mais morrerem, para as estatisticas do desemprego melhor, baixa o número de desempregados, e o governo de imediato anuncia que o desemprego em Portugal está a diminuir.
Porque são felizes com as desgraças alheias.
"Cambada de corjas".
Á família enlutada os meus sentidos pêsames, e para o nosso amigo Valdemar "marinheiro", pela sua sempre boa vontade em ajudar o próximo, os meus parabéns.
Um abraço
Eduardo.