sábado, 27 de março de 2010

Lagartos, Cobras e Vertigens

A Minha Lagartagem Hibernou. Irá continuar Hibernada até quando? 
Tremideira com a Lagartagem = Ano de Enorme Sofrimento
(Lagarto com Coração de Leão) 
  Desde tenra idade que os Lagartos me fizeram tremer sempre que andam pela mó de baixo, começo a sentir um frenesim que com o decorrer da idade se torna mais notório. Mas por incrivel que pareça não há volta a dar-lhe, se acaso não posso assistir a vê-los em campo, quando venho a ter conhecimento da sua postura e desfecho do resultado esse mal estar não é atenuado. Então este ano e que já vem do ano passado  passado tem sido uma tremideira quase infernal. Ao ponto de quase me levar ao congelamento.
Eu e as Cobras Macheando na Serra da Minha Aldeia!!!!!

Um Trauma que não há volta a dar-lhe!!!!!
Por volta dos meus seis anos de Idade na terra da minha Aldeia e quando andava com as ovelhas da minha avô ao tentar tirar do meio de umas silvas uma que lá tinha ficado presa pela lã, era tantas as cobras a soprar atirando-se uma às outras, segundo me disseram por andarem a machearem-se que fiquei aterrorizado e estátitico isto veio a verificar-se até aos dias de hoje, que ao falar delas ou mesmo enquanto aqui estou a escrever estou cheios de tremeliques, mas sem saber explicar o porquê, sempre que visito um Zoo e há exposições delas não perco uma mesmo tendo a ver as melhores e a pagar carissimo, e mesmo elas estando lá fechadas encosto-me todo à parede e sempre com os tremeliques. Na minha aldeia quando elas aparece: fico estático e sem reacção. Acontece que de quando em vez por lá aparece alguma morta e mesmo essas não sou capaz de me apróximar. Explicação:- Nunca consegui  dar a volta a isto.
 As Vertigens herdadas nas Fragas da minha Aldeia

Aqui Respira-se ar Puro. Paisagem Deslumbrante.
A minha terra tem Fragas e foi no subir e descer dessas mesmo que um dia estive entre mais naquela de caír de um altura que a acontecer teria sido fatal e que nunca percebi a razão pela qual tinha conseguido me safar. Quando cheguei ao fundo comecei a olhar para onde tinha estado. Comecei a tremer e a partir daí nunca mais fui capaz de subir a grande altura por começar todo a tremer.
     Quando há muitos anos vivi em Lisboa num quinto andar, não era senhor de vir à Varanda e mesmo com a Janela fechada era um tremelique tremendo.
    Alguns anos depois de sair da Marinha fui para a construção civil. cedo me tornei em Ferrageiro de primeira, o problema era quando começava a passar do terceiro para meter as vigas de ferro.
   Normalmente montava a banca de ferro junto à obra e quando os carpinteiros montavam as pranchas e subiam para cima para pregarem as madeiras, eu de cá debaixo tremia imenso e trazia isso para casa e de noite acordava muitas vezes todo cheio de tremeliques.
    Nos anos que trabalhei na construção melhorei alguma coisa, mas verdade muito pouco.
     O ter de ser tem muita força.

Tinha decidido que iria ver o Benfica/Braga, mas como ainda estou muito doente daquilo que  se passou ontem na Madeira e, às vezes poderia dizer o que não devia, de bocas que ouvi dizerem ontem, optei; por estar aqui a recordar o passado,  que continua no presente e  apenas séi que o Luisão tinha marcado um golo segundo li o que o Virgilio escreveu. 

2 comentários:

Anónimo disse...

Amigo Valdemar
Quanto a tremideiras eu hoje tenho a minha conta, enquanto não acabou o jogo do meu Benfica não fiz outra coisa, ao ponto de a primeira parte só ter visto uns poucos minutos e na segunda foi quase igual.
Agora vou vendo os Blogues dos Amigos para acabar de acalmar, senão ainda vou para o val de lençóis a tremer e a mulher ainda chama o 112,por pensar que me está a dar alguma macacôa
Um abraço
Virgilio Miranda

TINTINAINE disse...

Felizmente eu não sofro como o Virgílio. A ansiedade nas horas que precedem os jogos é que é o problema. Quando a bola começa a rolar, regressa calma.