terça-feira, 6 de abril de 2010

Quero Partilhar= Os Meus Dias de Páscoa

                Domingo de Páscoa 2010, "em Familia", que começou em Nogueira da Regedoura
  
 Tocou à Alvorada por volta das oito da manhã, pois havia que ir lêr a imprensa diária e estar por perto, quando por volta das onze horas a cruz chegasse. Tal como o previsto aconteceu, e a esposa Filhas e Genro, receberam o compasso em casa.
    Tradição ainda é o que era, falta o Padre, mas isso até nem se nota:- dizem eles.
Por volta das 13 horas lá começamos a dar ao dente e de que maneira, pois a  ementa estava desafiadora, "ou não fosse Domingo de Páscoa".
Por uma questão de dever a minha filha mais velha este ano foi almoçar a casa da Sogra, por tal razão, a respectiva lampreia  ficou adiada para Segunda -Feira. O que aconteceu muitos vezese em anos idos. Calhou bem porque assim apenas precisei de trazer uma. Explico o porquê abaixo.
Acabados de almoçar; toca a marchar, rumo à minha Capital.
 Viajando a caminho da casa da Aldeia =Cancelos/Sebolido
Havia já tempo que não fotografava a nova Ponte no Douro que fica acima cerca de 2 klm da Barragem.
As duas Fotografias mostram a ponte que terá três pilares e as duas fotos mostram as duas margens
RIO DOURO:- MAIS QUE UMA PAIXÃO, MAS UM GRANDE AMOR AFECTIVO
 Nutro pelos rios uma forte Paixão, mas pelo Douro é mesmo um Amor Especial e Partilhado.
A Margem do lado esquerdo pertence à Freguesia das Medas e a Povoação frente é de Pé de Moura, pertencentes a Gondomar, único Concelho em todo o Douro que tem uma Freguesia da outra margem. Freguesia da Lomba, à qual pertence o lugar a cima citado.

A minha Ninfa= Sempre com o Marinheiro por perto, diz ela que agora arranjou um Paparazi

Estou vendo mal, ou  há  ali algum Tubarão! Ou será Lagartixa???


A quem quer ser pescador não lhe deias peixe. Ensina-o a Pescar.

Campidouro

Desde há tempo que tencionava deslocar-me  para conhecer este empreendimento, que apesar de lá passar próximo, nunca lá me tinha  deslocado, uma outra intênção era me deslocar ao Cais das Medas e fotografar o Rio e o Lugar de Pé de Moura, pois havia muitos anos que por ali não passava de Barco, desde o tempo do meu Avô Paterno, quando o faziamos a viagem no Barco Valboeiro a remos,para vir  apanhar bicha a Gaia para pescar ao Muge no Rio frente à Aldeia. Recordações que a memória não deixa que se apaguem.

Lampreias; hoje só pescadas, no tanque de Entre-os- Rios
Depois de tomar conhcecimento que esta não era o prato forte de amigos, acabei por decidir apenas trazer uma para amanhã.
Sim muitas noites a pescaria era abumdante e se pescavam grandes quantidades, tanto de Lampreia que se vê na Imagem como o de Sável. Hoje os tempos mudaram, porque  para servirem os interesses de alguns, optaram por uma barragem em Lever/Crestuma e assim sem um minímo de cuidado na defesa dos interesses das Gentes Ribeirinhas, privaram-nos de podermos pescar no nosso rio e nos nossos Areios, aquilo a que deveriamos continuar a ter direito.
Todos os tempos são tempos bons, basta que o saibamos ou sejamos capazes de o perceber.
Por isso e pelas razões que em cima dou a conhecer, o almoço de Segunda-feira vai ser a Lampreia que tenho em mãos.
Segunda Feira é um dia  de gratas recordações e veja-se porquê.

Festa de Santa Lúzia em Canelas.
Sempre assim foi é e continuará!!!. A força da Tradição.
Há os que têm a mania de serem contra tudo, convencidos que assim podem ser diferentes e alguém lhes reconhecer atributos que eles próprios deveriam reconhecer que não os têm. Assim poderiam dar um valiosopréstimo à Sociedade.
Certamente poderei ser acusado em muitas coisas de saudosista, mas até nem me importo mesmo nada. Porque citar exemplos  é contribuír para que se possa tomar opções.
     Sabia que se me deslocasse na segunda -feira de Páscoa para obter estas fotos não seria possivel, assim  optei por o fazer no Domingo, pode ver-se a Velha Capelinha Remodelada e o interior com os dois andores já preparados e, um terceiro que estava a ser preparado cá fora, mas que a máquina me pregou uma partida ao descarregar as Pilhas e não deu para bater mais nenhuma foto.
Tem para mim um significado muito especial, pois neste dia o pessoal da minha aldeia juntava-se, havia quem tocasse Acordeão, Viola, Harmónica de Boca, "Realejo" Flauta, Bombo e Ferrinho, e então lá se seguia para a citada festa, os vários quilómetros por caminhos pedregosos era irrelevante a folia de todos nós superava tudo isso.  Viviamos uma tarde espectacular.
    Foi assim de Criança até à minha Ída para a Marinha e diga-se que a partir dos meus quinze anos, lá comecei a arrastar a asa  "a namoriscar" aqui aparecia muita sardiha de primeira qualidade.
Fui imensamente feliz e ainda no Domingo, e ontem senti, essa enorme felicidade, as pessoas a cantarolar com o arraial super-cheio. Vale a Pena : Quando a Alma não é Pequena. Saloio? Goode.
O Coreto e o Velho Arraial, que contoinua em Terra Batida.


Foto do Lado Direito a Minha Eira e o Rio Douro, onde hoje Terça - Feira deu para repousar.
Na Segunda há noite maravilhei-me ao ver a boa Lagosta de Cabo-Verde que disso falaremos depois, mas soube e fou bom recordar.

2 comentários:

Fuzo de Agua Doce disse...

Amigo Valdemar
esperamos que a próxima Páscoa, se não for melhor, pelo menos que seja igual a esta.
Nota-se que as lampreias deram luta, pois pela foto nota-se que um dos pulsos está com pulseira elástica.
Um abraço
Virgilio

TINTINAINE disse...

Eu tenho-me dedicado pouco à escrita. Em contrapartida o Valdemar escreve por nós dois!
Agora ando mais preocupado em organizar o convívio deste ano e fazer todo o possível para que não haja falhas.
O Valdemar também sabe que não gosto de lampreia, mas gostei"bué" das fotografias da nova ponte. Estou mortinho que fique pronta para ir dar uma volta completa à cidade tripeira, com partida do aeroporto Sá Carneiro e chegada ao mesmo lugar, vindo do sul pela A28. Isto enquanto o nosso "amigo" Sócrates não implementar as portagens, porque depois a coisa vai fiar mais fino.
Se eu ganhasse (não se pode chamar ganhar, mas não sei que outro nome lhe dar) 3,5 milhões como o António Mexia, comprava um Mercedes 300 e ia dar a volta todos os dias... até me cansar!