quarta-feira, 14 de abril de 2010

Velhos e Pobres = Parte 1


Este País não é para Velhos
Velhos e Pobres não dá
Os portugueses vivem cada vez mais. Mais... e pior, sem condições de dignidade, sobrevivem apenas.
O aumento de esperança de vida para os 79 anos deve-se à melhoria dos niveis gerais de salubridade (saúde) e é uma das maiores conquistas da revolução de Abril.
   Infelizmente, a sociedade não se preparou para as consequências que daqui decorrem e os problemas sentem-nos hoje, amargamente, os idosos.
Com a idade chega, para muitos,  a solidão.
  Na provincia desertificada, mas também nos centros urbanos, onde o problema é até mais grave, com os idosos a viverem abandonados, sitiados nas suas próprias casas, ora em centros históricos degradados, ora nesses guetos a que chamam bairros sociais.
2
E mesmo  nas classes médias desapareceu o conceito familiar alargada
Realidade hoje rara, que permitia outrora que os filhos apoiassem os Pais.
Enquanto estes acompanhavam os netos.
Mas a saúde, ou a falta dela, é o aspecto mais dramático do envelhecimento da população.

2 comentários:

Valdemar disse...

Aqui onde vivo a situação é muito/muito pior!... Os velhos com mais sorte, são simplesmente abandonados nas Urgências dos Hospitais. Os com menos, esses são encontrados em avançado estado de decômposicão depois de passarem meses/anos sem pagarem as contas... Sem contar com os inquilinos dos inúmeros Lares da Terceira Idade onde são vítimas de maus tratos e muitas vezes sexualmente assaltados (lêr os jornais)... A segunda geração de emigrantes neste país perdeu todo o sentido de família e pobre da primeira que se fartou "de vergar a mola" para deixar algo aos que agora só se lembram dos velhotes quando é para assinar o Testamento...
Valdemar Alves

TINTINAINE disse...

Porra! Ninguém diga que está bem!