segunda-feira, 25 de abril de 2011

25 Sempre. Mesmo que a voz me doa.

Ainda temos medo de falar e comparar os dias de hoje com o 24 de Abril de 74, onde 40 por cento dos portugueses eram analfabetos, que uma dúzia de familias (Melos, Chapalimau, Tenreiro e cia, tinham em suas mãos mais de setenta por cento da riqueza.
Onde uma Mãe criava filhos para depois lhe os levarem para a Guerra.
Onde morriam cerca de 36% das crianças morriam à nascença ou nasciam já mortas e muitas outras com graves deficiências. Onde todos os dias chegavam mortos ou motilados da Guerra das Ex-Colónias.
Onde as prisões se enchiam e os assassinatos políticos eram constantes.
Não, esse tempo eu não desejo mais.
Não eu não gosto de ouvir dizer que "antigamente é que era bom", que  "as actuasis condições económicas e socias são piores que há 40 anos."
Porque nunca gostei nem gosto de censura, nem da arte de chibar, eu defendo que se respeite a alma de homens como Salgueiro Maia e Humberto Delgado e de tantos outros que foram encarcerados e passaram muitos dos seus anos de vida em segredo e muitos outros pagaram com a própria vida, só porque pensavam de maneira diferente.
Eu não gostava de ter visto as minhas filhas a pertencer a uma Legião Portuguesa imposta, nem o meu neto que aí vem.
Nunca irei questionar o 25 de Abril em que participei e apoiei de forma quase incondicional em prol da liberdade e do direito de pensar diferente..
Sei que perante todos os desvios de que dele se serviram e deles se aproveitaram de uma coisas eles não coseguiram foi roubar-nos a liberdade conquistada e que ainda hoje continua a ser um dos valores mais importantes das nossas vidas.
Apesar de todas as contrariedades e daquilo que a Troika com os seus Lambe Botas nos querem impôr, viver Abril continua a ser viver a Primavera da Vida.
Nunca serei capaz de questionar se Abril 74  valeu a pena. Vou isso sim :usufruir da liberdade conquistada como a coisa mais importante da minha vida.
Viver Abril Sempre

3 comentários:

Valdemar disse...

E TÁ DITO!

António Querido disse...

E BEM DITO, estou contigo Amigo Valdemar, viva o 25 de Abril, viva os Capitães de Abril, nós ´somos os únicos culpados porque elegemos corruptos, vira casacas, aldrabões, para des/governarem um País em liberdade, mas quero acreditar que vão aparecer novos Capitães, vão correr com esta escumalha e levantar Portugal, temos jovens inteligentes, irão ter a coragem de arregaçar as mangas, dar corda aos sapatos e ir à luta, eles são nossos filhos, nossos netos e conhecem a nossa história!
Um Abraço

Fuzo de agua doce disse...

Muito bem Amigo Valdemar
Compreendo muito bem a revolta quase generalizada, mercê da situação caótica que colocaram o Pais, eu também estou, vivo unicamente da minha reforma, e penso permanentemente se chegará o dia em que fechem a torneira e eu tenha que ir para a porta de alguma Igreja de mão estendida, mas isso não me impede de dizer viva o 25 de Abril, este foi feito exclusivamente por Militares, e não foram eles que nos puseram a pão e água, apesar dos erros que terão cometido, esses são os que nos têm Governado á mais de trinta anos, ou melhor têm-se governado, e deixaram o Pais de tanga, e como diz o Páscoa nós temos alguma responsabilidade ao votar-mos nestes estafermos, por mim já fiz o meu calvário e as minhas penitências arrependendo-me do meu voto desperdiçado, os outros que assumam também que erraram ao colocar-mos sempre a mesma musica, embora com músicos diferentes.
Vamos todos ter oportunidade de mostrar-mos a nossa indignação lá para 5 de Junho, por mim fechei para obras.

Um abraço
Virgílio