quinta-feira, 14 de abril de 2011

Mariolas na Procissão

A procissão ainda não saíu para o Adro da Igreja, já o PSD mete água por tudo quanto é lado, são tantos os rombos, que o desfecho não seja o de uma grande catástrofe, é muito pouco provável.
Mas consideram ser um êxito desta enorme e triste palhaçada que nem os seguidistas  do economista relativo e cada vez mais liberal se identificam com os autores da odisseia.
As deserções nas hostes laranja estão a ser mais que muitas.
Depois de Manuel Ferreira Leite, seguiu - se -lhe Marques Mendes, Capucho e Filipe Menezes tendo este inclusivé ter recusado o prometido alto cargo da Nação.
O barquinho glorioso do economista relativo e cada vez mais ultra-liberal está como se pode constatar com fortes rombos no casco, e o destino mais que provável é o seu total afundamento.
Pelo encrespamento que se apróxima estaremos perante mais um novo Titanic.
Não se crê que apareçam artistas circenses e o safem do naufrágio.
Pobre país que sustenta politiqueiros de tão baixo sentido patriótico.

2 comentários:

edumanes disse...

Eu direi pobres portugueses. o que mais nos irá acontecer. Toda a gente sabe que não será nada fácil tapar, tão grande que está, o buraco. Isto porque os nossos políticos são todos uma cambada de imcompetentes.
Um abraço
Eduardo.

António Querido disse...

Nas próximas eleições, vamos todos gritar bem alto "O POVO É QUEM MAIS ORDENA" e não votem nestes corruptos!