terça-feira, 17 de agosto de 2010

Malabarismo Político ao mais alto nível.Cavaco e Sócrates


Só Fogaças!!!
Os 68.000 hectares de floresta ardida ( tantos quantos a soma dos últimos três anos) deveriam servir para um tratamento diferente e preocupante dos nossos mais altos responsáveis!!!
     Mas o Presidente da República optou por trocar os calções de Praia pelo fato e gravata para vir  a Lisboa,  saber as últimas sobre os incêndios, reunir toda a comunicação social. O engenheiro relativo sentiu--se na obrigação de lhe seguir os passos e comunicar ao País que tinha interrompido as suas férias para estar ao lado de Cavaco Silva.
     Os bombeiros, militares e as populações que combatem e sofrem as consequências dos fogos dispensam estes espectáculos ditos democráticos que são meros balões de oxigénio para português ver.
      Precisamos é de gente séria e competente no poder, que ponha de uma vez por todas, ordem na floresta . Não basta denunciar os criminosos que acendem os fosforos. O que é preciso é também denunciar as políticas criminosas cúmplices dos incendiários.
     Mandar calar ministros como o da Agricultura, que, do alto da sua incompetência, só dizem asneiras e atiram gasolina para a fogueira.

2 comentários:

eduardo maria nunes disse...

A propósito das deslocações do Presidente da República e do Primeiro Ministro a Lisboa, respectivamente, por causa dos incêncios, não percebo o que foram lá fazer?
Eu penso que teria sido melhor terem ficado sossegados, para não criarem mais espectativas erradas ao povo, uma vez que em nada contribuíram para por fim aos referidos incêndios, a não ser falsas promessas, das quais estamos saturados.
Provem que são competentes e dignos, no desempenho das vossas funções para as quais, com os votos dos eleitores foram eleitos.
Sejam merecedores dos ordenados que ao fim do mês recebem, provenientes dos impostos dos trabalhadores, que estão, indiscriminadamente, a ser explorados pelo grande capital, com a cumplicidade das políticas do governo actual.

Piko disse...

Em primeiro de tudo, é preciso que se diga, que quem tiver um país com a floresta que nós temos, não vai nunca escapar à praga dos incêndios, a partir do momento que as altas temperaturas e as baixas humidades aparecerem por cá, normalmente no Verão...
Agora, outra coisa bem diferente será o ordenamento da nossa floresta, coisa dita e redita pelos técnicos especializados - alguns estão já reformados e outros já morreram - e que os sucessivos e maus governos nunca retiraram das suas gavetas, que é como quem diz nunca os preocupou!... Claro, se quem deve implementar não o faz, ficamos todos à mercê do que vier por aí, ou seja das tais altas temperaturas e das baixas humidades, da bandalheira geral da floresta em que a maior parte dos donos das matas - onde está englobado o Estado - não limpa nem colhe, onde a muito má formação popular dá para a negligência mais primária de fazer queimadas quando e onde nunca deveriam ser feitas, ou atirando inadvertidamente com a beata para as bermas de caminhos e estradas... E se juntarmos a tudo isto, a mão criminosa ou doente de pirómanos, que todas as sociedades transportam dentro de si e que terão de saber resolver!...
Só que as espectativas futuras apontam para um cenário, que, pelo que se ouve, irá agravar-se, visto que nos próximos tempos as condições climatéricas serão de molde a aumentar o número de casos e de incêndios.
Enquanto isto, chega a ser caricato ver sempre os mesmos a tentar tapar o Sol com a peneira, procurando com os tempos de antena que têm não largar o tacho e o poleiro e este tipo de discurso já é velho e dura há mais de trinta anos! A verdade é que somos o povo que somos e temos os governantes ao nível da nossa exigência, que é muito pouca para não dizer nenhuma! Isso, levar-nos-ia para um outro tipo de discussão, com quem os vindouros vão ter que se confrontar um dia mais tarde...
Sem querer sermos pessimistas, esta fatalidade da nossa floresta entronca quase na perfeição no que tem sido o desígnio deste povo, sem esquecermos de dizer com toda a frontalidade, que este país tão belo e tão bonito mereceria que este mesmo povo se viesse a tornar mais realista, menos acomodado e mais exigente consigo próprio e com os outros, sabendo que para isso terá de vir a travar uma "guerra" interna, que em vez de ser amanhã, bem poderia começar assim que fosse extinto o último incêndio na floresta de Portugal!
PIKÓ