domingo, 15 de agosto de 2010

Verdadeira Lição de Honestiadade de um Autarca Português.


As Ondas de um  Rio = Link = terrasriomar.blogspot.com
O Rio Douro= Um desafio aliciante = Link = marinheirododouro.blogspot.com

Deveria ser exemplo a seguir por todos aqueles que exerçam cargos políticos ou nomeados pelo Governo!...
Enquanto autarca aceitarei prendas que possam ser encaminhadas para o Banco Alimentar contra a Fome..
     Quando tomei posse como Presidente da Câmara de Santarém fui confrontado com a quantidade de prendas que chegavam ao meu gabinete.
Foi na Véspera de Natal.    
    Para um velho polícia, desconfiado e vivido, a hecatombe de presuntos, leitões, garrafas de vinho muito caro, cabazes luxuosos e dezenas de bolo-rei cheirou-me a esturro.
     Também chegaram coisas menores. E coisas nobres: recebi,vários ramos de flores, a única prenda que não consigo recusar.

      Decidi que todas as prendas seriam distribuídas por instituições de social, com excepção das flores.
     No segundo Natal a coisa repetiu-se. E então percebi que as prendas se  distribuíam por três grupos.
      O primeiro claramente sedutor e manhoso que oferecia um chouriço para nos pedir um porco. O segundo menos provocador, resultava de listas que grandes ermpresas ligadas ao fornecimento de produtos mesmo sem relação directa com o município, que enviam como se quisessem recordar que existem. O terceiro grupo é aquele que decorre de afectos, sem valor material mas com significado simbólico: flores, pequenos objectos sem valor comercial, lembranças de Natal.
     Além de tudo isto o correio é encharcado com milhares de postais de boas-festas que instituições públicas e privadas enviam numa escala imaginável.
     Acabei com essa tradição. Não existe tempo para apreciar um cartão de boas-festas quando se recebe milhares e se expede milhares.
     Quanto às restantes prendas, por não conseguir acabar com o hábito, alterei-o. Foi enviada nova carta em que informavamos que agradecíamos todas as prendas que enviassem. Porém pediamos que fosse em géneros de longa duração para serem ofertadas ao banco Alimentar contra a Fome.
     Teve um duplo efeito: aumentou a quantidade de dádivas que agora têm um destino merecido. E assim, nos últimos dois Natais recebemos cerca de 8 toneladas de alimentos.
     Conto isto a propósito da proposta drástica que o PS quer levar ao Parlamento que considera suborno qualquer oferta feita a funcionário público.
     Se ao menos lhe pusessem um valor máximo de 20 ou 30 euros, ainda se compreendia e seria razoável.
     Em vários países do mundo é assim.
     Aqui não. Quer passar dos 8 aos 80. O que significa que nada vai mudar.
      Por isso, fica já claro que não cumprirei essa lei enquanto funcionário público. Enquanto autarca aceitarei prendas que possam ser encaminhadas para o Banco Alimentar.
     E jamais devolverei uma flor que me seja oferecida.
     Com a devida vênia a Francisco Moita Flores, Professor Universitário e Presidente da Câmara Municipal de Santarém.

2 comentários:

eduardo maria nunes disse...

Atenção senhores políticos deste país. Leiam e sigam o exemplo do senhor Francisco Moita Flores. Não recusem as ofertas que lhes são enviadas, fazendo-as seguir para o Banco Alimentar contra a Fome.
Gesto louvável, por parte deste senhor autarca, o qual deve ser seguido por todos os políticos do nosso país como exemplo a seguir.
São Homens como este senhor, que fazem falta para governar Portugal. Tornando a vida dos portugueses, mais digna. Combater as disigualdades, sociais, existentes, criando condições para que todos vivam como serem humanas e com a dignidade que por direito merecem.
Obrigado senhor FRANCISO MOITA FLORES, pelo seu contributo a favor dos que mais precisam.
"UM HOMEM DA DIREITA, ÀS DIREITAS". VIVA PORTUGAL E OS HOMENS DE BOA VONTADE.

António Páscoa disse...

Tenho as minhas dúvidas, se um Francisco Moita Flores,pessoa que muito admiro por este gesto de solidariedade que eu já conhecia,se como 1ºMinistro de Portugal estas ideias não seriam contestadas pela escumalha que existe em Belém! A não ser que, ele mandasse limpar tudo com lexívia forte!
Obrigado Dr.Francisco Moita Flores! Pela grandeza do seu carácter!