domingo, 10 de outubro de 2010

A Complicação dos Amores



Quem tiver amores não dorme
Nem de noite nem de dia,
Dá tantas voltas na cama
Como o peixe na água fria


Tenho tosse no cabelo
Dor de dentes no cachaço;
Amargam-me as sobrancelhas,
Não vejo nada de um braço.

Eu amava-te, ó menina,
Se não fora um só senão
Seres a pia de água benta
Onde quem quer mete a mão.

Sei que andas de mal comigo
Por causa das embrulhadas,
Se tens dor de cotovelo,
Deita-lhe urtigas pisadas.

2 comentários:

TINTINAINE disse...

Onde foste descobrir estas pérolas da poesia popular?

Fuzo de agua doce disse...

Pois é, o dia do Valdemar tem mais de vinte e quatro horas, e tem por isso tempo para procurar estas pérolas como dizes.
Um abraço
Virgílio