quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Passeio pelo Rio Poio e Antigas Minas de Minério

Minas ficavam na Serra de Rio Mau, lugar de Cerva, Freguesia Ribeira da Pena, Concelho de Mondim de Basto.

Na visita de 5 de Outubro a esta local foi-me dado pela primeira vez a possibilidade de passar ao fundo da Serra da Senhora da Graça.
     Foi um dia espectacular já que para lá do convívio familiar, e depois de encher a pança com o saboroso Leitão e acompanhantes ainda me foi possivel desfrutar de vários pontos do pequeno Rio Poio, visitar o local dos Viveiros das Trutas, recentemente abonados e percorrer uma quinta com milhares de cerejeiras e um sistema de rega inovador.
A amabilidade das Senhoras em facilitar a passagem para acesso ao Rio e a visita à quinta. 
A minha ligação às ovelhas e carneiros vem de tenra idade e tenho duas histórias marcante.

      Como desilusão a constatação que neste pobre Portugal nada se conserva e tudo acaba pr caír aos bocados como mostram as fotografias.

3 comentários:

eduardo maria nunes disse...

Neste Portugal pequenino
Aonde não falta a beleza
Abandonado e sem destino
Está perdendo sua realeza.

Portugal pelo homem destruido
Contra o seu futuro vai caminhando
De seu, próprio, comportamento arguído
Cada vez mais egoista vai ficando

Arguído sem culpa formada
Continua sempre impune
Por si a floresta é queimada
Seu comportamente é costume.

Rios poluidos, fábricas abandonadas
Populações na pobreza vão ficando
E muitas outras são desactivadas
E Governo em sentido oposto vai remando

Fuzo de agua doce disse...

Uma Pessoa que tem ao pé de si, todas estas maravilhosas paisagens é um privilegiado, espero que não te comecem a cobrar mais impostos por isso, quanto ao abandono, por aqui é igual, é triste mas deve ser sinal dos tempos.
Um abraço
Virgílio

Piko disse...

Pois, este abandono generalizado, que traduzido dá desprezo pela nossa identidade como povo é preocupante, sim senhor!
Ainda não percebi totalmente o problema que é sério, mas os sociólogos ou mesmo os psiquiatras saberão diagnosticar as causas para tais efeitos... e aqui a sociedade actual e futura vai ver-se confrontada com problemas sérios!...
O caso é verdadeiramente preocupante e falo com conhecimento de causa:- Decorria o ano de 2007 e decidimos limpar a propriedade da minha mãe, que com 90 anos já não tinha condições para o fazer, infelizmente. Só que houve reacções adversas à minha atitude voluntária e passados 3 anos a mesma propriedade está de novo coberta de silvas, sem produzir nada e a meter "nojo" a quem por ali passa...
Há uma semana a minha mãe, coitada, que cada vez pode menos, pedia-me para voltar a limpar a sua propriedade e pela primeira vez na vida disse-lhe que NÃO, tendo o cuidado de não lhe explicar a razão porque lhe dera o primeiro NÃO!... Foi cruel para mim, mas de facto o meu falecido pai teria alguma razão, quando meio a sério meio a brincar, me ia dizendo: «NÃO VAIS ENDIREITAR O MUNDO, MEU FILHO!»
É um facto que a nossa missão é bem mais modesta, mas é custoso acreditar, que outros façam tanto esforço para que o tal mundo que sempre fora torto, fique ainda mais torto e desequilibrado!
Entretanto, para guerras não estamos cá!
E há mais:- Tenho a morar comigo um cão chamado Pikó de quem gosto e que procuro tratar bem! No entanto, um cão será sempre um ser diferente de qualquer ser humano e cada um que retire o sentido que as palavras poderão ou não conter...
Pikó