quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Mais três falsos Profetas (Eanes-Soares-Sampaio)


  Se acaso se trata-se de Pessoas merecedoras de credibilidade, exigia-se-lhes um pouco mais de respeito.
   São os mesmos que agora nos dizem ser preciso poupar que levaram a carroça a este beco, de saída cada vez mais complexa.
Foram eles :- Desde os fins dos anos setenta até hoje.
Como se já não bastasse práticamente não haver dia que  os falsos profetas  nos entrem porta dentro!!!
   Já estavamos habituados a eles aparecerem nos média, ex-Ministros e Catedráticos de Economia, Gestores de Multinacionais e Políticos Profissionais, a avisar-nos de que, se 2010 é mau, 2011 e 2012 ainda será muito pior.
    Só faltava mesmo era agora que viessem  estes três pobretanas com reformas de miséria (Risos) nos virem pôr a tremer pelo futuro quando se sabem eles não irão sentir o menor calafrio, e muito menos abdicar de um cêntimo para socorrer a pobreza.
     Todos eles falam em bancarrota, crise, recessão, desemprego, estagnação da economia, enfim só substantivos capazes de pôr a chorar o mais hercúleo optimista.
E têm uma coisa em comum: não correm o risco de serem protagonistas da tragédia á beira da qual Portugal parece estar.
 Porque é tudo gente que aufere ordenados de luxo ou pensões 5 estrelas e em muitos casos os dois (ou duas e mais reformas milionárias) que tem ocupações em actividades que não abrirão falência, que conservarão intacto o seu nivel de de vida.
    Com a penalização dos 5 % e a subida do IVApara os 23 % podem eles bem.
    O que custa isso sim: é, pensar no país que são milhões os Zés e as Esperanças: esses sim a verem as suas vidas agravadas com o PEC 3 e já a ouvirem falar no PEC 4 e até no PEC 5.
Se lhes restassem um pingo de vergonha! Certamente seriam mais contidos.




4 comentários:

Fuzo de agua doce disse...

Quando há cadáveres em zona de abutres, é vê- los em círculos, á espera do banquete que se aproxima, é assim que vejo estes e os outros que por aí têm aparecido, em tudo o que é televisão, como «anjinhos» não tivessem sido responsáveis pelo estado a que isto chegou, se mais não fosse pelo que têm «mamado» de vencimentos e reformas chorudas.
Um abraço
Virgílio

Agostinho Teixeira Verde disse...

Não lhes chameis profetas
Mas rotulai-os de fariseus
Porque o cúmulo das suas facetas
É encherem os cofres seus

Apertai-os numa molhada
Junto à Torre de Belém
Ao pescoço uma mó pesada
Para ver se nadam bem

Metei-lhes no rabo um mastro
Mas sem Bandeira Nacional
Para que não deixem rasto
De mamões em Portugal...

eduardo maria nunes disse...

Da crise três dos culpados
Na televisão apareceram
Dos portugueses não acusados
Esses ainda não apareceram

foram dizer como se deve fazer
Quando o deveriam não o fizeram
Querem aos outros fazer entender
Que eles aos portuguese muito deram

Três intelectuais que nada fizeram
A não ser seus interesses defender
Os interesses do povo esqueceram
Suas palavras vieram de novo ofender.

Anónimo disse...

gfft