quarta-feira, 6 de outubro de 2010

A TERRA PROMETIDA

O Governo prometeu que dominava a crise. Prometeu este mundo e o outro nas eleições de 2009.
Em todos os dias dos últimos dois anos, o Governo disse que a crise internacional ia brava, mas que por cá a economia reagia bem. Que estavamos a recuperar e que em breve estaríamos a sair do vermelho.
A outra semana Socrates apresentou uma receita orçamental como fórmula de dois em um. Apresenta em linhas mestras o orçamento em que espatifa o poder de compra e a capacidade de sobrevivência de milhões ao mesmo tempo que acciona um conjunto de medidas com efeito a partir do meio deste mês.
Vamos viver uma situação que traz fome e miséria. Quem se recorda dos inícios dos anos oitenta?
Cada vez mais os nossos filhos e netos perdem o direito à esperança.

4 comentários:

Agostinho Teixeira Verde disse...

Com este fala-barato no poder
Que nos enche de promessas
São coisas que fazem doer
Mas saem todas às avessas

Há quem goste do seu paleio
Mas pela boca morre o peixe;
Ele vai resistindo sem freio
Enquanto houver quem o deixe

eduardo maria nunes disse...

O povo na ilusão vai deixando
Socrates gabarola e atrevido
Muita pobresza vai causando
Porque o povo anda adormecido

Outro melhor não virá
Todos o povo sabem roubar
Por muito tempo não ficará
Quem mais nos irá tramar

Sócrates, Passos e Portas
Todos gostam, o povo, explorar
Jerónimo e Loução sem mostras
Para o povo e Portugal governar.

Fuzo de agua doce disse...

o Sr. Sócrates «canta bem mas não me alegra» como não sei versejar, vou metendo uns ditados populares, para não destoar muito dos outros Comentadores, que em verso dizem tudo, talvez faltando a palavra que mais se pode aplicar a este Primeiro Ministro: mentiroso.
Um abraço
Virgílio

eduardo maria nunes disse...

Com outra versão
A mesma coisa vai dizendo
Nestra triste acosião
Sr. Sócrates entendo