sexta-feira, 12 de novembro de 2010

O Automóvel e o Governo!!! E o Contribuinte


Isto não é uma fábula: Esta é a triste realista Portuguesa.
»Contribuinte – Gostava de comprar um carro.
»Estado – Muito bem. Faça o favor de escolher.
»Contribuinte – Já escolhi. Tenho que pagar alguma coisa?
»Estado – Sim. Imposto sobre Automóveis (ISV) e Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA)
»Contribuinte – Ah... Só isso.
»Estado – ... e uma “coisinha” para o pôr a circular. O selo.
»Contribuinte – Ah!..
»Estado – ... e mais uma coisinha na gasolina necessária para que o carro efectivamente circule. O ISP.
»Contribuinte – Mas... sem gasolina eu não circulo.
»Estado – Eu sei.
»Contribuinte – ... Mas eu já pago para circular...
»Estado – Claro!..
»Contribuinte – Então... vai cobrar-me pelo valor da gasolina?
»Estado – Também. Mas isso é o IVA. O ISP é outra coisa diferente.
»Contribuinte – Diferente?!
»Estado – Muito. O ISP é porque a gasolina existe.
»Contribuinte – ... Porque existe?!
»Estado – Há muitos milhões de anos os dinossauros e o carvão fizeram petróleo. E você paga.
»Contribuinte – ... Só isso?
»Estado – Só. Mas não julgue que pode deixar o carro assim como quer.
»Contribuinte – Como assim?!
»Estado – Tem que pagar para o estacionar.
»Contribuinte – ... Para o estacionar?
»Estado – Exacto.
»Contribuinte – Portanto, pago para andar e pago para estar parado?
»Estado – Não. Se quiser mesmo andar com o carro precisa de pagar seguro.
»Contribuinte – Então pago para circular, pago para conseguir circular e pago por estar parado.
»Estado – Sim. Nós não estamos aqui para enganar ninguém. O carro é novo?
»Contribuinte – Novo?
»Estado – É que se não for novo tem que pagar para vermos se ele está em condições de andar por aí.
»Contribuinte – Pago para você ver se pode cobrar?
»Estado – Claro. Acha que isso é de borla? Só há mais uma coisinha…
»Contribuinte – ...Mais uma coisinha?
»Estado – Para circular em auto-estradas
»Contribuinte – Mas... mas eu já pago imposto de circulação.
»Estado – Pois. Mas esta é uma circulação diferente.
»Contribuinte – ... Diferente?
»Estado – Sim. Muito diferente. É só para quem quiser.
»Contribuinte – Só mais isso?
»Estado – Sim. Só mais isso.
»Contribuinte – E acabou?
»Estado – Sim. Depois de pagar os 25 euros, acabou.
»Contribuinte – Quais 25 euros?!
»Estado – Os 25 euros que custa pagar para andar nas auto-estradas.
»Contribuinte – Mas não disse que as auto-estradas eram só para quem quisesse?
»Estado – Sim. Mas todos pagam os 25 euros.
»Contribuinte – Quais 25 euros?
»Estado – Os 25 euros é quanto custa o chip.
»Contribuinte – ... Custa o quê?
»Estado – Pagar o chip. Para poder pagar.
»Contribuinte – Não perc...
»Estado – Sim. Pagar custa 25 euros.
»Contribuinte – Pagar custa 25 euros?
»Estado – Sim. Paga 25 euros para pagar.
»Contribuinte – Mas eu não vou circular nas auto-estradas.
»Estado – Imagine que um dia quer…tem que pagar.
»Contribuinte – Tenho que pagar para pagar porque um dia posso querer?
»Estado – Exactamente. Você paga para pagar o que um dia pode querer.
»Contribuinte – E se eu não quiser?
»Estado – Paga multa.



1 comentário:

Fuzo de agua doce disse...

Paga e não «bufa» como dizem na minha terra, também se diz para pagar e cara alegre, aí é que já é demais, com cara alegre é que não, estamos lixados e mal pagos, isso é que não há duvidas.
Um abraço
Virgílio