quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Quem é Burro, quem é?


Sabia que mais de metade das receitas projectadas com a subida do IVA vão "direitinhas" para os cofres de uma empresa  privada?
    Sabia que as transferências dos dinheiros do Estado para esta empresa equivalem a mais de metade das poupanças arrecadadas com o corte de salários dos funcionários públicos?
    Pois é, é verdade. Pelo menos, é isso o que nos informa o Relatório do Orçamento de Estado para 2011. Como todos sabemos, o projecto de
  Orçamento de Estado do governo dá azo ao maior aumento da carga fiscal das últimas décadas.
  Sobe-se o IVA, o IRS, as contribuições sociais, bem como toda uma série de taxas que farão diminuir o rendimento disponível das famílias e aumentar os custos das empresas e dos consumidores. Cortaram-se ainda salários, prestações sociais, despesas com a Saúde e os gastos com a Educação. Tudo em prol do "interesse nacional".
   Porém, sabia que o mesmo governo que está a querer aumentar o IVA vai igualmente transferir 587,2 milhões de euros para a ASCENDI, com a desculpa de levar a cabo a "reposição da estabilidade financeira" da empresa? E que esse "reforço" equivale a um aumento de 289,6% das verbas pagas à ASCENDI em relação a 2010? (p. 212 do
Relatório do OE 2011)
    Quem é a ASCENDI? É uma das empresas/grupos económicos que tem ajudad o governo na sua cruzada de "modernização" do país através da construção de mais de 850 quilómetros de auto-estradas em diversos pontos do país. E quem são os principais accionistas da ASCENDI? Depende da concessão em causa, mas são maioritariamente a Mota-Engil (entre 35% e 45% do total), a ES Concessões (detida pela Mota-Engil) e a OPway, entre outros.
   Na sua mensagem de missão sobre a parceria da empresa com o nosso Estado, a ASCENDI revela bem o que lhe vai na alma: "Vemos o Estado Português como uma entidade que se confunde com o país, com o
bem-estar e com o bem comum."
    Pois é. E é esta "entidade que se confunde com o país" que prefere subir o IVA, taxar os contribuintes e cortar nas despesas da Educação e das prestações para reforçar a estabilidade financeira de uma empresa privada.
     No entanto, se o Estado não estivesse interessado no "equilíbrio financeiro" da ASCENDI ou se, pelo menos, tivesse tentado renegociar contratos e prazos com esta empresa, talvez tivesse sido possível evitar parte do corte salarial dos funcionários públicos ou, pelo menos, evitar a subida do IVA em um ponto percentual.
  Mas não. Afinal, por que é que haveríamos de nos preocupar com a descida do rendimento disponível dos portugueses ou com os efeitos recessivos que a subida do IVA provocará se o que está em causa é o "reforço da estabilidade financeira" da ASCENDI?
Ó Zé se não chegar p´rá sopa, bebe água...

Amigo tu mereces-me todo o respeito.

4 comentários:

eduardo maria nunes disse...

Para muitos já não vai chegando, e com todos os aumentos que se avizinham. Muitos mais água teremos que beber em vez de comermos sopa. Para que os cofres de certas empresas fiquem a abarrotarem em dinheiro, à custa dos sacrifícios de quem para eles trabalha.
Os causadores desta tão-triste exploração, de quem tira aos pobres para dar aos ricos, deveriam ser julgados nos Tribunais?
E colocados em prisões de alta segurança, piores que o Tarrafal, para onde eram levados muitos inocentes,só porque defendiam os direitos daqueles que o não tinham!

Agostinho Teixeira Verde disse...

Mesmo chamando-lhe casmurro
Apelido a que se atrevem
Diz:ainda sirvo para burro
Outros nem para burros servem...

TINTINAINE disse...

Por isso é que a bófia anda atrás do António Mota. A ver se descobre para onde manda ele os milhões que nos tem sacado.
Mas já se sabe que não vai encontrar nada. Como em todos os outros casos.
Ainda te lembras qual é a diferença entre roubo e desvio?

Fuzo de agua doce disse...

Bem mostrado por onde anda o nosso rico dinheirinho, mas não há grandes ilusões que a coisa se endireite tão cedo,isto esta tudo minado.
Um abraço
Virgílio