sábado, 12 de fevereiro de 2011

Portugal Isolamento Social na Terceira Idade

Mulher apaixonada por homem alentejano
riodouroniassa.blogspot.com

Portugal é o sexto País do mundo mais envelhecido

                                    Lisboa é a capital europeia com a população mais envelhecida.
Dado o isolamento em que vivem os idosos, não surpreende os casos que relatam onde há pessoas mortas há vários meses e anos em suas casas, sem que mimguém se aperceba da sua falta. Não conivem. E foram abandonados pelos familiares, e muitos vezes eles próprios se auto excluíram. 
Portugal é o sexto mais país envelhecido do Mundo- 17,9% da população tem mais de sessenta e cinco anos-, num raking liderado pelo Japão 22,6% dos idos. Lisboa com um idoso por cada quatro habitantes, é a capital europeia com maior proporções de idosos entre as estudadas no âmbito do projecto Urban Audit.
Pedro Alcântar da Silva, investigador do Instituto do Envelhecimento e co-autor de um estudo sobre a população de Lisboa com mais de 50 anos, cita estes dados para dizer que o isolamento a que muitos idosos estão sujeitos tende  a agravar-se. A perda de contactos sociais explica-se por dias vias: por uma lado, deixam de fazer a maioria  das actividades que costumavam realizar, como compras, passeios ou visitas; e , por outro, vivem em casas degradadas, de difíceis acessos, o que agrava as dificuldades de locomoção (de se movimentarem) características do envelhecimento.
O estudo sobre população da capital permitiu aferir (comparar) dados reveladores do crescente isolamento: a partir dos 75 anos, 31% deixam de frequentar o comércio local, 20% nunca estão com amigos ou familiares e 33% residem em habitações degradadas e antigas (datadas de 1960).
Num quadro global de envelhecimento populacional - Portugal tem mais de um milhão e 900 mil habitantes com mais de 65 anos e, em 2009, o número de nascimentos foi, pela primeira vez desde 1900, inferior a cem mil - o fenómeno do isolamento não está quantificado. Esperan-se os Censos deste ano para actualizar os ultimos dados oficiais (2001), que apontavam para a existência de 573 mil pessoas a viverem sós, metade idosos e reformados.
Tranascrito com a devida vênia JN 10/02/2011.

3 comentários:

Fuzo de agua doce disse...

Quando escreveste esta mensagem provavelmente ainda não tinhas conhecimento de mais dois idosos que foram encontrados mortos nas suas casas, para juntar á outra Srª que teve nove anos no interior da sua já morta, é assim a nossa velhice, para quem está sozinho.
Um abraço
Virgilio

António Querido disse...

E nós para lá vamos, Amigos! Eu tive em minha casa o meu pai e a minha mãe, agora tenho a minha sogra, se chegar aos oitentas, não sei se terei a mesma sorte, ou se as filhas terão disponibilidade para me aturar, logo veremos, não se pode sofrer por antecipação, mas incomoda-me vêr que durante 9 anos, não se pode abrir uma porta, para verificar o que se passa naquela casa, depois das finanças se apressarem a vender, ou melhor a vendar, já aparecem primos, primas, etc. a tentar abotoarem-se a uns euritos, vivemos mesmo num País cão! Sem rei nem roque!

edumanes disse...

Depois de uma vida de trabalho e muitos sacrifícios. Muitos dos idosos são abandonados pelos próprios familuares.
Cujo flagelo se instalou no seio da sociedade, e tem tendências em piorar. Apesar de haverem algumas organizações não Governamentais aprestarem, dentros do possível, algum apoio de solidariedade, por muito esforço e boa vontade que tenham, por vezes não é suficiente.
O Governo não quer saber dos idosos, a não ser para lhe sugar o pouco que alguns ainda têm.
No futuro não só Portugal, mas também noutros países, haverá mais idosos, porque menos crianças irão nascer por causa das uniões de pessoas do mesmo sexo.
A não ser que sejam fabricadas como os carros?
Ironia minha!