terça-feira, 15 de junho de 2010

Educação= Parem de prejudicar as crianças

Cortam no Farêlo, para sacarem  os proveitos da farinha.
       Vem aí uma nova vaga de encerramento de escolas.
       Quando se sabe que "fechar" uma escola em muitos casos é "fechar" aldeias, sobretudo as do interior, cada vez mais entregues à sua sorte e cada vez mais desertificadas.
    Fechar escolas sem respeitar as tortuosas acessibilidades aos novos estabelecimentos de ensino  (em muitos casos estes já estão a rebentar pelas costuras com alunos a mais), sem a miníma preocupação de saber quantas horas têm as crianças de passar dentro dos autocarros para irem à escola.
Estaremos mesmo perante uma Educação de fachada, ao retorno dos tempos de má memória.

4 comentários:

lmdoliveira disse...

Nem mais! É a DESERTEFICAÇÃO DAS ALDEIAS!

TINTINAINE disse...

Há casos e casos. Se as Câmaras fizerem o seu trabalho como deve ser, podem melhorar a qualidade do ensino, a qualidade de vida dos alunos e ainda poupar dinheiro. Assisti à reportagem transmitida por um canal de televisão (não me lembro qual) sobre as mudanças já efectivadas no concelho de Rezende e parece ser um sucesso.

Piko disse...

Para desgosto meu e de um país, onde se incluem maiorias e minorias, iremos assistir a situações de desnorte que nem vai lembrar ao diabo...
A propaganda do hábil Sócrates, já atingiu o pico máximo há algum tempo atrás e o desgaste deste governo já é de um nível tal, que até os bons fatos do snr. eng. parecem não ter o brilho de há uns tempos a esta parte...
Temos pena, que a teimosia deste indivíduo não dê frutos bons e temos pena que estes partidos que se intitulam de grandes parangonas democráticas, se tornem reféns de uma só pessoa e durante tempo indeterminado... Nós sabemos, que não será só por ser teimoso que se mantém no lugar de 1º ministro, porque isso só acontece, pelo facto de bajular os detentores do capital, ao mesmo tempo que vai criando as leis que tanto lhes agrada, e, se repararmos melhor, por vezes, faz aprovar uma lei arrojada, como a dos Homossexuais, que em nada belisca os homens das grandes fortunas, porque se fosse o caso, nem falaria em tal assunto... Aliás, ainda há dias reparamos o à vontade com que faz "belos" discursos de encantamento para as figuras de Soares (paizinho) e de F. Gonzalez a propósito de uma Europa de há trinta ou quarenta anos, mas o homem, que vai tirando o BRILHO aos fatos que veste, não é capaz de procurar discutir, pelo menos isso, os graves problemas da Europa actual e como ajudar a transformá-la para um futuro melhor para os europeus! Esse é que devia ser o ponto, em vez da retórica fácil e demagógica, com o objectivo de cativar para si, num futuro breve, um bom lugar lá para as bandas de Bruxelas, que é a actual moda destes provincianos PORTUGAS, sem ofensa para as muitas pessoas de bem do nosso interior, tantas vezes desprezado, que só cometem o pecado de alguma ingenuidade política, quando acreditam em PALAVRAS OCAS, antes de EXIGIREM BOAS OBRAS!
Padecemos, possivelmente, de uma mente ainda muito rural, ultrapassada em larga medida pelos factos históricos e isso tem custos...
Logo, penso, temos aquilo que merecemos!...
PIKÓ

Fuzo de Agua Doce disse...

Julgo que a virtude estará na maneira como as coisas são feitas,haverá escolas que não fará sentido estarem abertas com meia dúzia de crianças, não é bom para elas nem para nós que pagamos a um Professor que não se sentirá motivado com meia dúzia de crianças,haverá casos que não se justificará fechar a escola só porque não atinge o numero que o Governo impõe 20 alunos segundo parece. O importante é que as crianças tenham transporte e alimentação assegurados, para os locais para onde forem.
Um abraço
Virgilio