quarta-feira, 23 de junho de 2010

Companhia de Fuzileiros Nº 2 = Encontro :- Carlos Tintinaine, Agostinho Verde, Navegando no No Rio Douro

Carlos Tintinaine e Agostinho Verde. Dois Fuzileiros da Companhia Nº 2 , desfrutando deste Colosso Fluvial

A Foto a quatro está o Agostinho Verde, o Tintinaine, O Sérgio que fez parrte dos primeiros Soldados a Chegar a  Metangula/Niassa e o Manuel Cardoso Sobrevivente do Naufrágio no Rio Zambeze. Numa outra comigo e outro Amigo está outro Filho da escola um Barra Oito que prestou Serviço no Comando Naval em Moçmabique é é autor de quatro Livros  de execelente qualidade, como a Ninfa do Douro e Douro Lindo Manuel Araujo Cunha.


Tinha no dia de hoje publicados dois artigos, que considero importantes,  mas este levou-me a não resistir a o públicar logo que preparei as fotos.
Obrigados.

Dedicatória com amor  dedicação
             
Quem tem vontade de viver ,
Ela oferece-nos enorme prazer
 Proporciona-nos coisas a fazer
Realizadas jamais dará para esquecer

Nota:- Com o meu maior e sincero reconhecimento :
 Juntando  um abraço Fraterno:
 Extensivo a todos os leitores dos nossos blogues.
  Bem hajam.
 - Marinheiros: Agostinho Teixeira Teixeira Verde, Carlos Tintinaine e Manuel Araujo Cunha, aos Soldados  Sérgio e  Manuel da Rocha Cardoso , soldado condutor sobrevivente do desastre do Rio Zambeze,  via telefone com o Conterrâneo Rimauense e soldado em Angola Agusto Pikó
Amigos dos meus Amigos, meus grandes Amigos são. 
A todos um forte abração.
Nota:
Posteriormente desenvolverei como e onde vivemos este dia preenchedissimo e onde as conversas e recordações foram mais que muitas.
Encontro entre pessoas de bem, tem sempre um final feliz.
A PALAVRA AOS AMIGOS:-
Comentar agora é connvosco  

            2º
Para recordar e perpetuar,
Um dia Douro/ Cancelos/Sebolido
Que foi maravilhoso confraternizar
Mas que dia tão intensamente vivido (divertido)
Amigos não um adeus, mas um até já.

6 comentários:

Piko disse...

Estas ideias são excelentes Valdemar! Para a próxima, porque não no alto de S. Domingos?!
Relembrar velhas amizades é sempre bom, mas com o rio Douro por companhia... É uma envolvência única, como que a antecipar o que está escondido, um pouco mais acima, mas que quase se adivinha!... Refiro-me aos socalcos vinhateiros do Douro, mas são outras histórias, que ninguém consegue contar melhor que o nosso grande amigo e conterrâneo Manuel Cunha!
Faço uma pequena ideia das "pantominices" do Valdemar que nestas horas quase se esquece que o mundo não parou, porque são momentos bem raros dentro do nosso tempo, que urge aproveitar! O amanhã é sempre o amanhã e nesse futuro podemos já não entrar, muito embora estejamos à partida todos convidados, mas nem todos lá chegarão...
É a lei da VIDA!
Mudando de tema, como se portaram os nossos amigos Valdemar? Enjoaram a bordo do teu VALBOEIRO? Disseste-lhes que o barco tem as inspecções da ASAE em dia? E que tiveste o previlégio de a inspecção RIGOROSA, ser feita por aquele snr. de que já nem lembro o nome, que foi apamhado a fumar em recinto proibido?...
Conta tudo sobre o Carlos e o Agostinho ( veia para a poesia ) num convívio em que podes crer que estive PRESENTE! E TENHO ANSIEDADE!
PIKÓ

Fuzo de Agua Doce disse...

Não és religioso, a palavra para ti não tem sentido, mas não arranjo outra para designar o local onde moras, e que direi que é uma bênção morar num sitio desses, usufrui, que poucos se podem dar a esse «luxo, reparei que ouve pescaria, já agora podias dizer que peixes se apanham aí no Douro, e também se a rapaziada não enjoou.
Um abraço
Virgilio

Valdemar disse...

Os Filhos da Escola estão muito activos.
Qual enjoo qual quê.
São Marinheiros de barba rija, verdadeiros Vascos da Gama.
Como vês não se deve dar peixe a quem deseja ser pescador, é o que estou a fazer-lhes.
Peixes: - Voga, Barbo, Enguia,Muge (Taínha),Achegá,e Perca Lúcio, estes dois últimos só se alimentam de outras peixes, são espectaculares e de óptimo paladar.
Quanto a não ser Cristão:- Talvez por isso, Deus Natureza, depois com a ajuda de meus avós e meus Pais, para me castigarem doaram-me o saber amar fizeram este milagre.
Não sou contra quem o é, que pratica a mesma sem se servir dela.
A minha mulher é Cristã praticante e levo-a a muitos templos religiosos. Aliás esse é o meu conceito de liberdade. Contra os que se servem dela? Mitologias? Deusar o que quer que seja?
O Vaticano é como o Partido Socialista:- Perdem aderentes todos pos dias mas não corrigem erros, nem param de os voltar a repetir.
Só por isso teriam sempre a minha oposição
Fico feliz pelos elogios que fazes.
Tem Rio, Tem Serras, tem Fragas e eu tudo faço para saber receber os meus amigos.
Posteriormente desenvolverei o que foi um dia de convivio.
Porque é de inteira injustiça devo dizer-te que o Carlos Tintinaine é uma pessoa fabulosa e o Agostinho que pessoalmente só conheci ontem Idem, Idem aspasd aspas.
Depois contaremos ao pormenor o ocorrido.

Artur/Leiria disse...

Não haja dúvidas que os amigos são para as ocasiões, Valdemar. Pelo que se nota, és um sortudo dos maiores… Com um quintal desses, mesmo à beira-rio, é de se dizer: - “Graças plenum Dominus tecum”…! Quanto aos amigos: castiços, verdadeiros, solidários, incentivadores, camaradas de armas e das cucas, do camarão e da lagosta de outrora, dos serões no teu lago NIASSA e das aventuras da divinal vivência que, teimosa como burra, continua apegada às memórias destes velhotes sedentos desta salutar amizade a qual nos dá a razão de viver…
Gostei! (...) Haja mais e sempre…

Piko disse...

Ah, já agora quero comentar o excelente texto do Agostinho Verde,que afinal não se fica só pela poesia!... A avaliar pelo texto, foi um dia como poucos e logo a iniciar este Verão que promete, vamos a ver se cumpre!... Sim, porque nós somos do tempo em que se prometia muito pouco - havia muito pouco para dar! - mas quando se prometia, era para ser "escravo" da palavra dada! Não é que não houvesse mentirosos, também os havia e dos "bons", mas a fama corria rápido pelas aldeias e a credibilidade perdia-se para todo o sempre... É curioso como as coisas evoluíram nesse pormenor! Afinal, estávamos bem longe de pensar que os "vendedores de banha da Cobra", como então eram designados, passado poucas décadas haveriam de ter algum sucesso, mas efémero, porque irão constar como medíocres e com falta de credibilidade, numa História em que também nós fomos actores, provincianos, pode dizer-se, porque nem é feio dizer a verdade e muito menos redutor!
Claro que o Carlos tem o seu espaço próprio e já deu para perceber que não irá ficar calado, nem é rapaz para tal! Pensa e logo fala, depois nós comentaremos, que é a nossa principal função! Desengane-se quem pensar que isto de "escrevinhar" é o mesmo que comunicar, qual quê?! As facilidades são sempre para os mesmos, que mal vieram ao mundo, abriram os olhos e acharam que tinham aportado ao melhor sítio do Universo e a partir daí sentiram-se uns felizardos... É caso para concluir :- Há gente com uma sorte!...
FOI UM GRANDE PRAZER ESTAR COM ESTES AMIGOS!
PIKÓ

Anónimo disse...

Olá amigos sou ex-combatente 1962/64 em Angola, nas Forcas de Intervenção. O meu irmão foi da Companhia Nº 1 de Fuzileiros e esteve em Moçambique e alcunha dele é o moraria. Como ele não tem computador sou eu que ando á procura da companhia dele.
Um obrigado muito grande
Um abraço bem apertado a todos os combatentes
Manuel Pombo
Bamzapombo@live.de