sábado, 19 de junho de 2010

A VIDA=O Sangue do meu País corre-me nas veias = José Saramago

O Triste e lamentável Papel Odioso do Vaticano.
  Deveriam numa altura em que andam a pedir perdão perante o Mundo pelos erros comtetidos pela Igreja, vir no seu Jornal Públicar notícias onde o seu ódio é nota dominante, mais condenável após poucas horas da sua morte e sabendo que ele não lhes poderia dar a resposta devida.
     Pobre de quem tem de usar estes métodos para tentar desacreditar e justificar o que é injustificável.
     Mas a Obra e as metas que apontava para o bem estar da humanidade serão imortais.
     Quem são e o que defendem estes senhores!!! O Bem, o mal ou o Péssimo???
     Pobre Paraíso. 

Um Vulto Ribatejano e um Cidadão do Mundo
Convicções 

É se é um fenómeno  da natureza,
nele poderá não haver explicação.
poderá encontrar-se nesta incerteza
o elo que nos faz sentir grnde paixão
(Com inúmeras distinções mundiais)
    " A morte serve para que possamos continuar a viver, muito simplesmente".
     Nesta vida que agora vivemos, convém que saibamos que é aqui que temos de mostrar quem somos.
     Convém que saibamos que seremos mais felizes sempre formos mais solidários.
     Convém que saibamos que amemos os valores da honestidade e do trabalho, que trabalhemos todos para o bem comum.
      Nesta crtise em que nos encontramos poderá haver a tendência de nos tornarmos mais egoístas, mas o que vai ficar de cada um de nós é o que formos capazes de fazer pelos outros.
   Prémio Nobel da Literatura. Uma distinção que ninguém o negará, engrandece o país, o povo, a lingua, a comunidade literária, todos os leitores.

3 comentários:

Fuzo de Agua Doce disse...

Teve um Funeral á sua altura, valeu a pena ter vindo para Portugal,para podermos assistir a uma das maiores despedidas já vistas no nosso Pais.
Um abraço
Virgilio

Piko disse...

Amigo e conterrâneo, não fico nada surpreendido com as atitudes do Vaticano e da Igreja Católica, porque esta Instituição já deu sobejas provas de arrogância e de falta de humildade e não vai mudar nunca... Por vezes, os chamados "teólogos", que não sei muito bem o que seja, porque falam sempre no abstracto, e, aí, pode-se especular até ao fim das nossas vidas, sem concluirmos rigorosamente nada! Entretanto, passam para o exterior a fama de "eruditos", que não é a mesma coisa que sábios, mas que quase chegam a ganhar um pouquinho de credibilidade, quando dos altares, e sem direito a resposta, apregoam lições de humildade e de fraternidade, que nas alturas certas, como esta, e, por cimentarem as suas vidas numa hipocrisia sem limites, perdem por inteiro essa credibilidade. E temos muita pena que assim se comportem, porque se aceitassem com dignidade as diferenças de opinião, que, felizmente, cada vez são em maior número, teriam uma atitude de alguma religiosidade, pelo menos na imitação da vida terrena de Cristo, que deu muitos e bons exemplos a quem com ele privou, e, dos factos narrados, não consta um sequer de arrogância para com os semelhantes, sabendo-se que até teria sido apedrejado e insultado, mas que a todos terá perdoado! Isto, a ser verdade o que outros escreveram... porque esse homem nada deixou escrito. Só que Saramago, nem insultou nem apedrejou ninguém, nem era homem para tão baixos cometimentos, mas tinha fortes convicções humanas, que conseguia transmitir para os livros como ninguém conseguira fazer até aos nossos dias! Mais tarde, veio o reconhecimento da Academia Sueca, quando muito justamente lhe concedeu o Nobel da Literatura e aqui "caiu o Carmo e a Trindade" no Vaticano e nas dioceses cá do burgo, pela impotência de não poderem ofuscar os livros de um escritor de um pequeno país e sem papas na língua, que teve a ousadia de se propôr em TEÓLOGO, defendendo à sua maneira, e, muito inteligentemente, pontos de vista que têm, pelo menos, tanta credibilidade como aqueles que defendem os TEÓLOGOS da igreja de Roma!
Quanto aos comentários do Observatore Romano direi apenas e só:« QUIETINHOS E CALADINHOS DAVAM UM SINAL DE INTELIGÊNCIA, QUE, AFINAL, JÁ TERÃO PERDIDO!» SERÁ DESESPERO?...
PIKÓ

Valdemar disse...

Como Comentou o nosso conterrâneo Maunel Araújo Cunha.
A Igreja é como o Partido Socialista, perdem diáriamente adeptos, mas não mudam o seu procedimento.
Porque é dever fazer uma ressalva:- A nossa Igreja o que agora assumiu, ficou-lhe bem e´soube reconhecer o cidadão e o patriota.
O assumido pelo Vaticano é de uma pobreza tal que só merece reprovação e desprezo. O mesmo que o Presidente da Repúbçlica Portuguesa que podia e devia ter corrigido um erro lastimável,mas fez do cargo que desempenha uma vez mais como seja uma coutada sua.

Tal como o Vaticano, não merece outra apreciação que não seja a de reprovação e desprezo total.
Seguramente que a maioria dos portugueses não se reveem nesta autoritária e inadmissivel decisão.
Deve ser para calar os que o contestam com a aprovação da lei do casamento Homosexual.