quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Comboiando à Procura de um Lago

Quanto a mim, começava aqui o primeiro teste

Todos quantos nele viajaram jamais o esquecerão
     Certo, desde muito novo, comecei a habituar-me a este tipo de locomtotivas e a vagões de carga, já que aqui na minha aldeia se utilizava a locomotiva e os vagões para transporte de carvão e em muitos casos nelas viajam as familias e o pessoal mineiro. Também quem vivia nas aldeias, e ía para a vida de militar, fazia muitas vezes viagens deste tipo de comboios, ou então viam passar os comboios de mercadorias.
     Mas ao entrar num comboio, e dentro dele, viajarem militares armados até aos dentes (como ousa dizer-se), isso  era impensável não fosse em cenário de guerra.
     Devo confessar: era mesmo assustador esse primeiro contacto.
    Acredito que para as populações então deveria ser um choque tremendo e mesmo para os Checas, aqueles que antes desse contacto, pouco ou nada sabiam daquilo.
     Esta viagem, deixou dentro de todos nós, seguramente uma recordação inesquecivel.
Não vou adiantar mais, vou esperar se comentários houver, voltarei ao assunto, pois é em troca de exeperiências e recordações que avivamos a nossa memória, e assim melhor podemos exprimir os nossos sentimentos e expressar os nossos afectos.
Foi um viagem inesquecível.
Com uma paisagem única.

3 comentários:

TINTINAINE disse...

Também a mim me calhou fazer essa viagem e de maca ás costas, coisa que os fuzileiros mais modernos nem sabem o que é.
E nas subidas mais violentas também saí para empurrar o comboio e aliviar a carga, senão nunca chegaríamos ao nosso destino.

Valdemar disse...

Antes de fazer essa viagem houve um Fuzileiro já com uma comissão anterior que nos dizia que nas curvas o comboio ia tão devagar... Que um gajo podia descer, fazer "o serviço" nas calmas, e apanhar o comboio de novo... Verifiquei depois que o sacana exagerou... Hahaha!
Valdemar Alves

Valdemar disse...

Não exagerou nada. Isso corresponde à verdade.
Aliás o comentário do Tintinaine atesta essa realidade e conheço muitas outras que o comprovam. Aqui o Vouguinha e o comboio do Tua, aconteciam a mmismissima coisa.
Vou um destes dias juntar-lhe o detector de minas, melhor se percebe a lentidão e o aspecto de guerra.
Um abraço